Envie agora seu recado!

200
caracter(es) restante(s)

Notícias

Projeto de Bianchini declara os Rodeios Crioulos Tradicionalistas como patrimônio cultural
17 de fevereiro de 2017 às 14:30
Projeto de Bianchini declara os Rodeios Crioulos Tradicionalistas como patrimônio cultural
Parlamentar justifica iniciativa para buscar preservar os Rodeios Crioulos (Foto: Reprodução | Internet)

Por meio do PL 4 2017, do deputado Bombeiro Bianchini (PPL) declara os Rodeios Crioulos Tradicionalistas como bens integrantes do patrimônio histórico e cultural imaterial do Estado do Rio Grande do Sul. A iniciativa, conforme justifica o parlamentar, busca preservar os Rodeios Crioulos “enquanto representação das formas de manifestação e expressão do tradicionalismo gaúcho”, garantindo-lhes, dessa forma, reconhecimento como patrimônio histórico e cultural imaterial a ser preservado e cultivado, alcançando também, após a inclusão, o registro pelo órgão estadual competente conforme prevê o art. 2º da lei nº 13.678/2011.

Histórico 

O Rodeio Crioulo surgiu no Rio Grande do Sul na década de 50 nos Campos de Cima da Serra, a partir dos Torneios de Tiro de Laço Competitivos, originando o 1º Rodeio Crioulo de Vacaria, precursor dos atuais rodeios realizados no Estado. Diferente do Rodeio Country - considerado um esporte competitivo que visa premiação – o Rodeio Crioulo é a manifestação das tradições do campo e objetiva o convívio periódico dos costumes dos pagos, bem como as manifestações culturais tradicionalistas gaúchas, como música, dança, gastronomia e jogos.

Na lei estadual nº 13.678, de 17 de janeiro de 2011, constam as regras sobre o patrimônio cultural imaterial do Estado, definindo as formas de expressão, os modos de criar, fazer e viver, as criações artísticas, os saberes e os conhecimentos tradicionalistas, elementos demonstradores da identidade e do modus de viver do povo rio-grandense. Outra lei, No 11.719, de 07 de janeiro de 2002 (atualizada até a Lei n° 12.567, de 13 de julho de 2006), instituiu oficialmente o Rodeio Crioulo como um dos componentes da cultura popular sul rio-grandense.

De outra parte, o Movimento Tradicionalista Gaúcho – MTG, na 81ª Convenção Tradicionalista Gaúcha, de 25 de julho de 2015, estabeleceu o Regulamento Campeiro do Estado do Rio Grande do Sul, definindo a festividade do Rodeio Crioulo e suas modalidades, provas campeiras, artísticas e os jogos tradicionalistas.

 

Fonte: Assembleia Legislativa do Estado do RS