Envie agora seu recado!

200
caracter(es) restante(s)

Notícias

Podas devem ser realizadas com autorização da Secretaria de Meio Ambiente em Santo Antônio das Missões
21 de maio de 2020 às 10:28
Podas devem ser realizadas com autorização da Secretaria de Meio Ambiente em Santo Antônio das Missões
(Foto: Reprodução | Internet)

Após verificar a alta incidência de podas na cidade de Santo Antônio das Missões e os relatos de serem realizadas de forma irregular, a reportagem da Rádio 89,1 FM solicitou aos profissionais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural uma entrevista para detalhar para a comunidade quais os procedimentos necessários para a realização das podas.

Daniel Ferreira e Maurilio Barcelos participaram do programa Conversa Aberta desta quarta-feira, dia 20, e comentaram o assunto. Maurilio evidenciou que para realizar uma supressão, ou seja, a retirada de partes de uma árvore, é preciso que a comunidade vá até a secretaria e faça uma solicitação, após um técnico fará uma visita para avaliação e a orientação de como proceder a poda, porque muitas vezes não é preciso realizar a retirada ou substituição da árvore, somente uma poda condução. Com a vistoria realizada, é emitida a autorização, a pessoa paga a taxa de R$ 8,65 por árvore e poderá realizar a poda.

Maurilio detalhou que muitas vezes são questionados do porquê de solicitar uma autorização se a árvore foi plantada pelo proprietário da residência, e isso ocorre, porque existe uma lei no município, estado e a nível federal que é obrigatório no mínimo duas árvores em uma casa, e a autorização é para evitar que em uma fiscalização seja multado. Caso, se a pessoa não fizer a solicitação e não ter a autorização é passível de penalidades, e essas são aplicadas a partir de uma denúncia, isso significa que qualquer pessoa que ver uma poda sendo realizada de forma irregular pode contatar a secretaria, fazer a denúncia de forma anônima, se desejar, e então a equipe vai tomar as providências.

Ele comentou que a secretaria também orienta que tipos de árvores de pequeno porte podem ser plantadas para evitar problemas futuros, e ainda ressaltou que a taxa para a poda é de um valor simbólico, mas é lei, e o município precisa seguir.

Daniel salientou que são feitas podas radicais nas árvores, ou seja, são tirados todos os galhos, deixando somente o troco, o que não é indicado, pois essas árvores com uma geada podem acabar morrendo. Disse que muitas pessoas solicitam a poda somente porque estão fazendo muita sujeira ou excesso de sombra no inverno, disse compreender, mas explicou que uma poda radical pode não ser a solução, até porque poderá no verão vir a fazer falta.

Falou também sobre o recolhimento dos galhos das podas, porque a secretaria segue com a campanha “Nós todos pelo meio ambiente”, e nela há um roteiro de recolhimentos, sendo organizado da seguinte forma: Na primeira semana do mês, o recolhimento é no centro da cidade e bairro Santa Catarina, na segunda semana no trevo e bairro Jardim, na terceira semana nos bairros São Jorge e Aladim, na quarta semana nos bairros Boa Esperança e Daer.

Pediu que a comunidade não misture os galhos, com entulho ou lixos domésticos porque o destino é diferente, assim como, as equipes de coletas são feitas por equipes diferentes. Referente ao lixo eletrônico e pneus, orientou a comunidade a levar até a garagem municipal para ser dada a destinação correta.

Sobre o formato das podas em V realizadas pela Cermissões, Maurilio explicou que existe uma autorização para realizá-las e o método é usado para evitar que os fio da luz toque nos ganhos e gerem problemas maiores, e mesmo que a árvore fique feia num primeiro momento, partir do segundo ano a copa das árvores se formarão e somente será preciso fazer alguns retoques, não sendo necessário refazer a poda toda a cada ano. Por isso, orienta a comunidade não realizar a poda radical, após uma poda realizada pela Cermissões.

 

Por Jéssica Ourique

Fonte: Rádio 89,1 FM