Envie agora seu recado!

200
caracter(es) restante(s)

Notícias

Jornais impressos são seguros no toque e no conteúdo sobre o novo coronavírus
25 de março de 2020 às 10:14
 Jornais impressos são seguros no toque e no conteúdo sobre o novo coronavírus
(Arte Eliara Cruz)

Um dos meios de comunicação mais confiáveis em uma época em que o pânico só aumenta em função de tantas fake news disseminadas em redes sociais sobre o novo coronavírus, o jornal impresso se mostra uma plataforma segura para a saúde da população. De acordo com a International News Media Association (INMA), entidade líder mundial das melhores práticas de imprensa, não há nenhum caso de transmissão de Covid-19 através de jornais, revistas ou outros formatos impressos. No Jornal Fronteira Missões todos os cuidados de prevenção têm sido tomados para que o Fronteira continue sendo uma fonte de informação segura de todas as formas.

As medidas de prevenção ao novo coronavírus se iniciaram tão logo a pandemia começou. Nas últimas semanas, toda a redação contou com o abastecimento de álcool em gel e orientações sobre os cuidados de prevenção e tem tomado cuidados ainda maiores. Além de aumentar a higienização dos equipamentos de uso diário, os colaboradores foram liberados a trabalhar em home office, mantendo o menor fluxo de pessoas possível. Medidas semelhantes foram tomadas na Rádio 89,1FM.

Em artigo publicado no site da INMA, o diretor-executivo Earl J. Wilkinson reforça que várias autoridades da Saúde, como o Centro de Controle de Doenças (CDC, em inglês) dos EUA e a Organização Mundial da Saúde (OMS), informam que o novo coronavírus não dura muito em objetos.
 
Ele destaca orientação da OMS, que garante que é seguro receber um pacote de qualquer área em que o Covid-19 tenha sido relatado. Segundo a OMS, a probabilidade de uma pessoa infectada contaminar mercadorias comerciais é baixa, assim como o risco de pegar o vírus em um pacote que foi movido, transportado e exposto a diferentes condições e temperaturas. O artigo cita ainda estudos de cientistas que apontam que o novo coronavírus dura mais tempo em superfícies lisas e não porosas.
 
 

Por Grupo Fronteira Missões

Fonte: Com informações do Correio do Povo