Geral
Secretária da Assistência Social de Santo Antônio das Missões fala sobre os principais desafios da pasta durante a pandemia
07/04/2021 16:56
Foto: Arquivo Pessoal

Concedeu entrevista à Rádio Fronteira Missões, na edição de quarta-feira (7) do programa Conversa Aberta, a secretária da Assistência Social, Priscila Nunes, falando sobre os principais desafios da pasta durante a pandemia.

Priscila relatou que a pasta iniciou os trabalhos no mês janeiro pensando que o ano seria diferente, fazendo reuniões técnicas e planos de contingencia, mas houve a classificação de bandeira preta, que fez com que o trabalho precisasse ser parado para que as metodologias pudessem ser repensadas, e disse que muitas mudanças e adaptações só puderam ser realizadas graças as verbas que vieram ano passado, permitindo a elaboração de novos projetos e dando um novo fôlego.

A secretária falou que, em seu ponto de vista, precisamos parar de dar a desculpa do vírus, ele é sério, ele existe, mas é preciso se reinventar, buscar a preservação da vida, sanar as problemáticas que existem na área social, que são muitas. Para ela, a crise nem começou de fato, falando que a área social vai ser muito afetada devido as diferenças sociais existentes.

Uma das grandes demandas que Priscila expôs foi a da educação, relatando que existem muitas realidades diferentes no município, que a educação não era igualitária nem com as aulas presenciais, e que as aulas “online” estão deixando ainda mais claro as faltas que a sociedade enfrenta nesse seguimento, contou que no interior, as vezes, as crianças não conseguem fazer as tarefas pois os pais não são alfabetizados e não conseguem ajudar, que em nosso município, mães e pais se sacrificam para comprar um telefone para os filhos acompanharem as aulas, não acontece só na TV, acontece aqui também. Falou que essas situações aumentaram ainda mais a preocupação com as famílias vulneráveis do município, e levantaram a questão de como ajuda-los nessa situação.

No seguimento da educação, falou que a secretaria está desenvolvendo um projeto para auxiliar as famílias e as crianças nos estudos, onde a partir de 19 de abril, serão organizados no Centro de Múltiplo Uso do bairro São Jorge, Centro de Múltiplo Uso do bairro do Daer e no Centro de Oficinas no centro, atendimentos com um profissional, seguindo todas as medidas de proteção contra a covid-19, com horário marcado para um atendimento por grupo familiar, para ajudar com as tarefas escolares, podendo ser atendidas até 3 famílias por turno, quando a pasta espera atender 45 famílias por semana para que as crianças não fiquem ainda mais prejudicadas nesse período.

Outras demandas que preocupam a secretária são, por exemplo, o auxílio alimento que vem sendo muito requisitado, e até então, está sendo suficiente, também a saúde mental das crianças que estão sendo privados da socialização, papel que a escola desempenha na maioria dos casos e a volta de muitas pessoas que trabalhavam na região metropolitana e que perderam seus empregos, buscando apoio de amigos e familiares e procurando emprego aqui, algo que também está em falta.

Relatou que também está sendo desenvolvido um projeto para acolhimento de idosos, pois durante o isolamento social, pelo menos um idoso por dia está sendo atendido pela secretaria, procurando por conta própria, ou por denúncia, uma maneira de ser ajudado. Portanto, está sendo elaborado um projeto de lei para que se tenha um cadastro de cuidadores de idosos que serão designados para cada caso, até que o idoso seja reencaminhado para um lugar com mais segurança.

Priscila encerrou dizendo que houveram muitas demandas novas, mas que o compromisso do serviço público é procurar se adaptar para superar as necessidades e realizar ações que possam ajudar ao próximo. Se os projetos derem certo, ótimo, se precisar parar, voltar e refazer, vai ser feito, mas não existe maneira de que se cruzem os braços e nada seja feito para suprir as carências sociais do município.

Autor: Lucia Lopes

Fonte: Rádio Fronteira Missões - 89,1FM

Mais notícias - Geral