Região
Prefeito de Itacurubi assume crise no abastecimento de água e esclarece pontos de soluções
24/11/2021 16:33
Foto: Reprodução | Arquivo

Em entrevista ao programa Notícias da Rádio Fronteira Missões, nesta quarta-feira, dia 24, o prefeito de Itacurubi, Gelso Soares comentou e esclareceu a comunidade os fatos sobre o abastecimento de água do município.

Gelso pontuou que Itacurubi viveu e vive uma crise de abastecimento de água, praticamente em toda a sua existência, mas a administração está trabalhando para resolver a situação, inclusive, com as ações já realizadas, diminuiu o déficit em 50%.

Citou que Itacurubi é o único município do Estado que tem déficit de abastecimento de água, em janeiro quando assumiram, ao verificar a situação, visualizaram que em janeiro de 2019, o déficit era de mais de um milhão ao ano, agora em 2021, algumas leis bloquearam algumas ações que poderiam ser as soluções, mas estão buscando alternativas, pois, o município sofre muito nesta época do ano com a falta de água.

O prefeito comentou que foram trocadas mangas pretas por cano de pvc em algumas localidades do interior do município, o que ajudou a diminuir a falta de água, mas ainda há alguns casos. Esclareceu que no Rincão da Ilha, local que hoje, está mais crítica a situação, acredita-se que o uso inadequado e excessivo de água está gerando a falta de água para três moradores, inclusive, há uma semana e a equipe está buscando encontrar o motivo da água não chega nas três residências, mas não conseguiram identificar, porém estarão solucionando provisoriamente com manga preta, para posteriormente, colocar cano de pvc. Destacou também que o município tem cadastrados sete moradores da localidade, mas um levantamento recente mostra que são dez utilizando água, o que indica que três deles não tem cadastro, e isso, dificulta a organização para melhorar o abastecimento.

Gelso disse que ao falar no rádio sobre isso, tem o objetivo de esclarecer o que vem acontecendo e pedir ajuda da comunidade, porque, por exemplo, somente a conta de luz, fora manutenção em trocas de equipamentos ou bomba, o custo no Rincão da Ilha é de R$ 1.030,00 mensais e a arrecadação é de R$ 98,00. Comentou que isso vem ocorrendo em todo o interior do município, onde a água é municipalizada. Ainda pontuou que muitas vezes essa água ainda é usada para animais, irrigação, uso em pulverizadores, e outras atividades, e a conta vem subindo, o que dificulta para o município pagar, então, pediu para a comunidade dar uma atenção em usar essa água para tomar, fazer sua comida, e usar dentro de suas casas.

Frente a tudo isso, o prefeito explicou que ontem esteve em Porto Alegre buscando informações das partes legais para criar um departamento de água, e hoje, realizou uma reunião no município sobre o plano de saneamento básico que está em andamento para ajustar detalhes sobre a questão. Disse que há muitos erros das gestões passadas e há erros da comunidade também, e enquanto, administrador não quer terceirizar água, porque sai muito caro para o município.

Gelso comentou que a água paga hoje pela população é em média de R$ 20,00 a R$ 50,00 reais, e a inadimplência é muito alta, então pediu a comunidade que quite as suas dívidas para que o município possa realizar ainda mais investimentos.

Ele ressaltou que estará como gestor até 2024 e o seu objetivo é chegar ao final de sua gestão, não tendo o município a referência como pior município do Estado no abastecimento de água, mas para isso, precisa ajuda da comunidade.

Por fim, o prefeito admitiu que o município sempre teve crise de abastecimento de água, e está buscando conversar com a comunidade para buscar soluções, porque, em resumo, o município tem pessoas usando água sem estarem cadastradas, tem pessoas usando água para outras atividades a não ser para consumo humano, não tem uma casa com relógio registrando o consumo, há deficiências de encanamentos e equipamentos, há déficit financeiro e o objetivo é junto com a comunidade resolver os problemas.

 

Autor: Jéssica Ourique

Fonte: Rádio Fronteira Missões

Mais notícias - Região